Notícias

Brasil apresenta queda de 18 posições em ranking de competitividade

02/10/2015

 Brasil apresenta queda de 18 posições em ranking de competitividade

Foto: Divulgação Internet

O Brasil bateu dois recordes próprios no Relatório Global de Competitividade 2015/16, elaborado pelo Fórum Econômico Mundial e divulgado ontem. O País caiu para sua pior posição e tombou inéditos 18 degraus no pódio dos mais competitivos. Entre 140 países, o Brasil aterrissou na 75ª posição.

São 27 postos abaixo do 48º lugar conquistado em 2012, melhor desempenho desde 2006, quando a pesquisa, iniciada em 1977, ganhou a atual metodologia, que agora permite comparações entre um ano e outro. Segundo o ranking, o País está abaixo de alguns de seus principais concorrentes, como México, Índia, África do Sul e Rússia, e de economias menores como Uruguai, Peru, Vietnã e Hungria.

A decadência do Brasil de um ano para outro ocorreu por uma soma de fatores, segundo a pesquisa. Houve deterioração dos dados macroeconômicos, perda de confiança do empresariado - observada em pesquisa de opinião realizada neste ano - e também a comprovação de uma complexa rede de corrupção em funcionamento no País, evidenciada pela Operação Lava Jato.

"Como não avançou em questões regulatórias e tributárias e na infraestrutura melhorou pouco, basicamente em aeroportos, o Brasil acabou perdendo muitas posições no ranking", afirma o professor Carlos Arruda, coordenador do Núcleo de Inovação da Fundação Dom Cabral (FDC), uma das parceiras do Fórum Econômico na coleta e análise dos dados.

A pesquisa mostra que no quesito sobre a força das instituições o Brasil perdeu 27 posições. O motivo foram variáveis associadas à ética nas relações entre o setor público e privado e à corrupção. "Indicadores como confiança pública em políticos (138ª), pagamentos irregulares e subornos (112ª), comportamento ético das firmas (133ª) e proteção aos interesses de acionistas minoritários (78ª) estão diretamente ligados aos recentes escândalos de corrupção que envolveram poder público, partidos políticos e iniciativa privada", avalia o relatório.

Credibilidade - A pesquisa evidencia a perda de confiabilidade tanto de representantes e agentes públicos quanto de empresários e altos executivos. "Um dado que mostra a perda de credibilidade no setor privado é a pouca eficácia dos conselhos corporativos (que passou da 56ª para a 79ª posição)", afirma Arruda.

Além de ter piorado em relação a outras economias - em 2014, era o 57º entre 144 países -, o País ainda registrou recuo na nota em relação à economia mais competitiva - que, pelo sétimo ano consecutivo, é a Suíça. Na pesquisa de 2014, o índice geral do Brasil era de 4,34. Neste ano, é de 4,08.

"Isso significa que o Brasil ficou menos competitivo em relação a si mesmo", afirma Arruda. Ou seja, não foram os outros países que melhoraram e deixaram a economia brasileira para trás. "O Brasil piorou", resume.

Os recordes negativos no ranking do Fórum Econômico Mundial levam em consideração a evolução dos dados macroeconômicos de 2014. Ou seja, só no ano que vem a pesquisa vai capturar o que está ocorrendo neste ano na economia brasileira. Entre alguns fatores desfavoráveis, haverá o aumento do déficit nominal do setor público, o estouro da taxa de desemprego e a alta da inflação, além da perda do grau de investimento da agência Standard & Poor´s.

Como alento, a boa notícia é que a depreciação cambial é vista como um ponto favorável.  um fator, segundo o professor Arruda, que pode estimular a internacionalização das empresas a partir das exportações. (AE)

 



Fonte: Diário do Comércio (MG)

Histórico
















Endereço
Rua Evaristo da Veiga, 689
Boqueirão - Curitiba-PR
Televendas
(41) 3376-4140
Whatsapp
(41) 9984-4140
E-mail
vendas@casadoserralheiro.com
Horário de Atendimento
Segunda a Sexta das 8h00 às 18h00

A empresa Casa do serralheiro situada na cidade de Curitiba/PR está no mercado há mais de 25 anos, levando sempre ao seu cliente: exclusividade, qualidade, satisfação e conceito.
Atua no ramo de ferro e aço para serralheria, construtora e indústria metalúrgica em geral, fornecendo chapas, perfis leves, perfis estruturais, tubos pretos e galvanizados, ferros cantoneiras, ferros chatos, ferros redondos, ferros quadrados, etc.